quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Encantos

O Alberto Caeiro dizia que "Pensar é está doente dos olhos". A psicologia gestáltica diz que é preciso parar de pensar e se fixar no aqui e agora. Só que o Caeiro tinha olhos de criança, ele via o que a maioria não via. Crança ver o mundo como se fosse um brinquedo, tudo ela bota na boca pra experimentar e degustar, a pele, a boca, os olhos, tudo é fonte de descoberta. Uma das minhas alegrias é sair com os meninos. Esses dias o Pedro teve prova de vestibular, quando fui buscá-lo, resolvemos passear pela cidade. E para nosso encanto, havia uma exposição de quadro do Portinari. Tinha a mostra de cinema Gláuber Rocha. O sol de verão em plena primavera e na praça uma exposição de orquídeas.






Fico a imaginar como o Ceeiro veria esses encantos? A cidade tem surpresas sempre que temos o tempinho de passear por ela, e na maioria deles nada custa. E nas voltas que o mundo dá, ainda gosto de pensar, ainda sou doente dos olhos, mas de vez em quando, eles se encantam com a realidade, as luzes e cores, sabores e cheiros que a ralidade doce nos proporciona.

2 comentários:

  1. Conquistado! Será que é assim que se chama o Conquistense por opção. A cada leitura de Ana me sinto atraído por Conquista. Se não se sentes assim, bem poderia ser. Mas tenho Esperança, ainda desejo muitas conquistas por aqui. E como aí, de graça.

    ResponderExcluir
  2. Ana, Evaldo evoca a Conquista e se diz conquistado. Com que estado fico eu para dizer algo depois de tudo dito. Na conquista há vitórias, Vitória da Conquista conquistando e inspirando versos e inversos. Há a Vitória das paisagens, há vitórias, há conquistas, há vitória, enfim, nas bem ditas palavras: E tu mascarenharás encantos com beleza!

    ResponderExcluir