quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Futebol

Por aqui ninguém gostava muito de futebol, até a copa do mundo de 2014. O meu caçula descobriu no meio dos colegas quem era o tal Messi, me perguntou por sua história, contei o que sabia, o Zico também, e, sobretudo o Pelé. Sabendo da história e algumas peculiaridade dos jogadores ele se motivou a curtir o esporte. Agora está na escolinha de futebol, já que não existem mais aqueles campinhos na rua como nos quadrinhos do Mauricio de Souza, ou na minha terra natal, campos de terra batida onde as crianças se juntavam pra bater bola.
E lá vou eu curtir a cria fazer o gol, e ficando feito maluca aos gritos na torcida de mães. E nas voltas que o mundo dá, não sei dizer se era bom antes, ou depois, ou se agora é melhor. Só ele saberá. Antes tinham os campinhos de terra, os amigos e as mães não estavam na torcida da arquibancada, hoje, é no campo com "treinador", embora seja só a pratica de um esporte por lazer, sem maiores pretensões, mas tem o pai ou a mãe por ali por perto pra incentivar e nossinhora como eu grito. E enquanto ele curte o jogo com os colegas, eu fico pensando que vale muito a pena ter uma infância gostosa, brincando, mesmo que seja como é hoje.

Um comentário:

  1. Ao contrário do que muitos pensam, criança é criança ontem, hoje e sempre com o mesmo espírito pueril. Para a criança de hoje tal qual a de ontem e de sempre há um jeito de ser feliz!

    ResponderExcluir