terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Água

Quando menina, minha mãe sempre colocava pra tomar banho quando eu conseguia tirar sua paciência, e para não bater ela colocava embaixo do chuveiro dizia que era pra acalmar. Eu mãe, passei a fazer o mesmo com os meus, e quando eles estavam nervosos ou com birra de criança eu colocava em baixo do chuveiro. O Espirito do André Luiz disse que: "O contato da água no corpo provoca um estímulo magnético que percorre todo o organismo, deixando-o calmo, e preparando-o para o sono reparador ou para as lutas de cada dia. O banho diário, quando encontra na mente apoio, torna-se um passe". Eita povo sabido!
Ontem foi o dia de Iemanjá, e em muitas cidades as praias se encheram de gente pra homenagear a rainha do mar, muitos devotos antes de adentrar as águas salgadas pedem sua proteção. E não é que um banho de mar faz um bem arretado? E água com açúcar? Nossas avós a oferecia quando alguém estava nervoso? Não importa se salgada ou doce, ela faz parte de nossa constituição.
E nas voltas que o mundo dá, cuidemos bem desse liquido precioso que só tomou dimensões de problema social quando faltou no sudeste, quando para o nordeste é uma realidade desde sempre.

Um comentário:

  1. Quem bem trata dessa temática é o filósofo Mário Sérgio Cortella, em sua "Despamonhalização da Vida", uma cultura um tanto esquecida. É lá na cozinha com os aromas, trecos, sons e calor humano. Ali a casa se faz mais aconchegante. O alimento maior é do espírito, embora nos sirva para encher, também, o "bucho".

    ResponderExcluir