segunda-feira, 16 de março de 2015

Protestos

Esse fim de semana fiquei mais uma vez abismada com os representantes de minha espécie. Nas ruas de várias capitais do país protestos contra o atual governo. Até aí, tudo bem, estamos em estado democrático de direito. O grande problema foram os conteúdos dos cartazes nos protestos. Teve de tudo, gente pedindo a volta da ditadura, a saída do Paulo Freire da educação. Teve até gente culpando o PT pelos ataques de 11 de setembro nos EUA. Uma verdadeira aberração. Mas vamos combinar, um cartaz me chamou ainda mais a atenção.


Imagem do Google

No dia da mulher a nossa representante legal na presidência sancionou uma lei que torna o feminicídio um crime hediondo, na mesma semana vi um jornal divulgando que um homem havia matado sua companheira por que ela tinha ido a um churrasco sem ele, essa foi a justificativa, ou seja, ela morreu por ser mulher. E aí a gente ver uma pessoa do gênero feminino que leva o cartaz, dizendo "feminicídios sim, fomenicídio não" é assustador.
E nas voltas que o mundo dá, fico com a impressão de que ninguém foi a escola, não sabem o que querem, por que ao mesmo tempo que ela diz sim a um crime dessa natureza, não creio que saiba o que reivindica. Quanto ao "fomeneicídio" eu não quero nem mesmo especular  o que essa pessoa tentou expressar.

Um comentário:

  1. Ana! Tudo se explica, no caso dos autores dessas pérolas, quando se pede a saída de Paulo Freire. A libertação que ele tanto apregoava ainda não chegou por aí, certamente. No mais é só imaginar falta de escola ou demasiada desinformação midiática. O bombardeio é enorme e há quem não saiba onde, como nem porque se posicionar. Só lendo Caras ou, então, aguardar a chegada de Bundas em busca de (in)formação.

    ResponderExcluir