segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Universos

O Manuel de Barros disse que: "A reta é uma curva que não sonha". O nome dele já lembra o passarinho João de Barro o construtor. A chegada da primavera parece mexer com todo mundo, não só comigo. Em minha caminhada não mais solitária, vejo a grande avenida Olivia Flores fervilhando de pessoas. Tem ciclistas comemorando o dia mundial sem carro. Tem uma maratona de jovens correndo paralela a caminhada pela primavera, e para participar de todas as comemorações, um causa justa, uma camisa vale um quilo de alimentos para a casa do amor, para o nosso lar e outras entidades filantrópicas da cidade. É um universo paralelo, onde os mundos estão em sintonia. Afinal, dizem que cada ser é um universo inteiro.


Luz amarela

Vejo os ipês floridos, a jaqueira cheia de frutos, as azaleias florescendo nas calçadas, a vida pulsando, e os cães fazem parte desse evento cheiroso e colorido. Em casa, as crias se empolgam cada um com seu livro, em seu mundo e fico observado com um astronauta as lindezas desses universos paralelos.
E nas voltas que o mundo dá, imagino as bolhas de sabão que são cada momento vivido, eles são efêmeros, mas são perfeitos em suas imperfeições, e gosto de fazer parte desse mundim redondim que gira, deixando a gente tontim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário