sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Você

Já reparei que você tem a alma antiga, gosta das músicas que não são da sua época, adora os livros, mas não guarda os que não são tão atraentes, prefere que eles viajem por outras mãos. Essa sua sua calma que as vezes me assusta, e sua disciplina espartana me enchem de alegria, as vezes penso que que você já veio pronto. Vejo quando sorri discretamente toda as vezes que vamos atravessar a rua e eu seguro na sua mão. Gosto quando me pede auxilio, já que é tão raro. Agora que o tempo passou são outras as probabilidades e conquistas.
Lembrei do dia que você veio pra casa com dois cachorros de rua lhe seguindo por que você os alimentou com o lanche que levou pra escola. Lembro com saudade do tempo que você me pedia colo dizendo:"Quero tu". Do seu sorriso largo quando eu chegava do trabalho e você me abraçava feito coala e eu era seu eucalipto. Agora já se passaram dezoito anos, não tem mais abraços de coala, mas tem a alegria de sempre. E eu ainda me surpreendo com você como no dia que você deu todo o seu dinheiro para os médicos sem fronteiras, era o meu presente.


Pedro Mascarenhas

E nas voltas que o mundo dá, continuo a oferecer meu abraço, a me oferecer pra ir com você onde precisar de mim, por que nunca vi ninguém adoecer por excesso de afeto. E ontem foi seu aniversário, mas quem ganhou o presente fui eu, com dizem aquelas propagandas de lojas. O maior amor do mundo é esse que compartilhamos meu filho amado, feliz aniversário Pedro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário