sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Ano novo

As vezes rio das resoluções do ano novo. Todo mundo veste roupa da cor que deseja a sua realização, mas fica inerte para que o desejo saia da zona de desejo e se torne real. Não é a cor da roupa que vai mudar o ano seguinte, nem as sementes de uva na carteira que vai trazer dinheiro se não trabalhar, entre outras superstições, desculpe os esperançosos, mas não acredito nisso mais. Acredito nas resoluções que decidimos e colocamos em prática, e tudo muda se cada um se engajar um pouco.
Então as minhas resoluções são bem simples, li em algum lugar e fiz delas as minhas: Tomar café todos os dias, um café com amigos que não vi ano passado, um café com familiares que não vejo há tempos, um café em viagem, não precisa ser no exterior, pode ser por aqui mesmo, um café com meu amor, um café com as crias, juntos e separadamente, um café com minha amiga, e um café sozinha, quente ou gelado mesmo sem creme por favor.
Essas são resoluções mais adequada, agradável e passível de serem realizadas. Também tomarei banhos de chuva, de luar, de amor. Deixei no dia ontem, ou no ano passado, as dores e mágoas, só guardo as lembranças e os sorrisos. Peço perdão a quem machuquei, se o fiz, não foi minha intenção, se quiser perdoar, fique leve.
E nas voltas que o mundo dá, descobri que para ficar de bem é preciso ser leve, levar a leveza da mala, não precisa de muito, leveza de sentimentos, e de corpo magro também, ajuda o vento a empurrar a gente pra onde direcionamos nossa metas como caminhar ou correr né? Vamos combinar, leveza para sorrir sem precisar de fingimentos, de não se forçar a estar em ambientes que não agradam, a não fazer nada que não traga alegria para gente e pra quem tá perto. Por que bom mesmo é quando tá bom pra todo mundo.
E seja qual for a sua resolução ou meta de ano novo, faça com leveza, só guarde o que pode carregar, assim fica mais fácil. Feliz ano novo, feliz século, feliz VIDA!

Nenhum comentário:

Postar um comentário