terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Arco-íris

Certa vez Chaplin falou: "Você nunca verá o arco-íris se estiver olhando para baixo". Ah, meu querido eu ando por aí prestando a atenção em coisas e pessoas. Caminhando pela cidade vejo pessoas que olham sempre para seus relógios, parecem estar sempre atrasadas, animais abandonados famintos pelas calçadas e árvores floridas. Lembrei de um professor que tive de taxonomia seu nome era Eduardo, ele tinha uma dúzia de cães de rua que adotou, em suas aulas nos mostrava encantado as flores e sua simetria e cores como um menino quando ganha um brinquedo novo. E penso como tive sorte!
Conheci pessoas que deixaram perfume em minha vida, daqueles que cada vez que algo me faz lembrar delas eu sorrio sozinha, acho que quem ver pensa (Lá vai uma maluca). Os meus bichos também foram adotados, nunca comprei nenhum deles e hoje tive uma agradável surpresa. O Zeus arrancou a última roseira do quintal e me recepcionou com uma rosa vermelha na boca, fiquei rindo e percebi que era a última, mas fazer o quê? Foi uma declaração de amor aos olhos dele.
E nas voltas que o mundo dá, é preciso olhar pra os lados e ver os encantos diários que a vida oferece, até mesmo quando se fica sem roseiras para  próxima estação. Ah, hoje teve arco-íris o céu e eu vi seu Chaplin.

Nenhum comentário:

Postar um comentário