terça-feira, 1 de março de 2016

Desapego

Há no mundo um levante com relação ao desapego, as pessoas vivem pregando que devemos desapegar. Mas me perdoem os desapegados eu gosto de pegação. Gosto de pegar aquela carta que nunca te dei e ler com se fosse a primeira vez. Gosto de reler livros, mesmo tendo aquela sensação: "Que pena que não é mais como a primeira vez!" Das tardes ensolaradas de verão, das noites frias de inverno onde a gente se esconde entre cobertores e pijama quentes, pra ver filmes com a agradável sensação de que amor é casa, é permanência, é apego seguro.
Gosto dos "grudes" que são nossos abraços, os lambeijos dos cães e os afagos das gatas, as flores do outono que desabrocham nas árvores pela cidade. E por falar em flores. Março chegou com cara de outono, já dando aquela esfriadinha empurrando o verão pra o final do ano. E trazendo uma nova coleção de emoções diárias.
E nas voltas que o mundo dá, chegue mais outono, seja feliz e nos apegue com seu clima ameno, com as flores decorando as ruas. E transformando nossas vidas com suas novas cores que contornam o astro rei nos finais de tarde.

Um comentário:

  1. Tirando os lambeijos, tamojunto! Desapeguemos daquilo que nos possuem quando a gente acha que os possui... no mais, só é seu aquilo que você da, que você deu. O beijo, por exemplo, como diriam os poetacantores dos Caymmis a Adeildo Vieira.

    ResponderExcluir