quinta-feira, 20 de abril de 2017

Suicídio

O ato de tirar a própria vida é uma proibição na cultura cristã com a justificativa que a vida foi dada por Deus e por isso só Ele pode retirar. Na cultura oriental durante muito tempo o seppuku era um ritual suicida um samurai tinha de retirar sua própria vida com honra, na Roma antiga era uma prática corriqueira. Na atualidade pesquisas apontam que a cada minuto uma pessoa se mata no planeta essa estatística é assustadora.
Esses dias um jogo se proliferou entre os jovens chamado de desafio da baleia azul, nele, os jogadores fazem desafios que chegam a automutilação e ao suicídio e são muitos os casos pelo Brasil, as redes sociais estão cheias de pessoas preocupadas e outras rindo da desgraça alheia, "vivemos num mundo doente" já cantava o Renato nos anos 80. Ah, Renato, a juventude continua buscando uma razão pra viver, uma ideologia e estão fragilizados com tanta informação disponível, com tanta cobrança da sociedade que se perdem no mundo virtual.
É preciso um olhar mais atento para essa juventude, as tristezas que afetam crianças e jovens carentes de afeto e encontram num jogo uma razão pra desafios. Aliás jovens gostam de chocar, desafiar, mas esse jogo virtual só mostra o grau de nocividade da ausência de afeto e atenção. E nas voltas que o mundo dá, é preciso que estejamos mais atentos a esses meninos e meninas, orientar, vigiar e, sobretudo, amar, por que ninguém morre de amor, ninguém adoece por ter recebido atenção e afeto, mas por falta dele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário