quinta-feira, 22 de junho de 2017

Cheganças

Um dia a gente esquece a senha das coisas e elas ficam ali paradas, um dia a gente acha e elas chegam. E chegou o inverno frio e trazendo com ele os cheiros do São João, a saudade de outros tempos e as perspectivas de outras auroras. Impossível não lembrar da cada de tio Paizinho, das pamonhadas na casa da mãe. Aí a gente vai pra cozinha e perfuma a casa com canela, gengibre, milho verde e conta histórias na beira da fogueira.

O meu estandarte que a Terezinha fez ficou lindo 

E agora tem uma vizinha linda de pouco mais de três anos que vibra com as gatas e os cães daqui de casa, a Sara. E chegaram coisas boas, chuvinha fina, as crias crescendo, o mundo girando e a vida acontecendo. E nas voltas que o mundo dá, gosto tanto de cheganças que até o inverno é bem vindo promovendo narizes frios e abraços longos e apertados.

Um comentário:

  1. Bem chegada. Na volta ninguém se perde!
    Muito feliz. Espero ter tempo pra tratar todas postagem que se enquadrar no meu foco (nossa terrinha) e replicar no meu blog.
    Parabéns, pela volta!

    ResponderExcluir