sexta-feira, 14 de julho de 2017

TDAH

Ontem foi o dia dedicado as pessoas que possuem Transtorno de Deficit de Atenção e Hiperatividade ou TDAH. Existem pessoas que não conseguem amarrar cadarços, ou fazer recortes e dobraduras, pelo simples fato de não desenvolver a coordenação motora fina, (muitos filósofos e pensadores eram assim), que demoram muito tempo para processar uma informação pelo simples fato dessa informação não ser de seu interesse. A cabeça dessas pessoas funciona com um guarda roupas desarrumado, onde cada peça que precisa encontrar, não está nas gavetas e por isso demanda tempo para encontrar.
O deficit de atenção se caracteriza pela capacidade de ouvir e ver muitas coisas ao mesmo tempo, ao invés de concentrar em apenas uma coisa de cada vez. Era uma característica humana muito importante quando o homem vivia na caverna e precisava está atento a tudo ao seu redor, como predadores, ou presas, ou ao tempo e ao ambiente. Hoje se tornou uma desvantagem.
É preciso que os educadores sejam conscientizados que cada uma pessoa possui suas necessidades diferenciadas, não se pode avaliar as habilidades de um peixe quando ele estiver fora do seu habitat. Tem alguns anos que convivo com uma pessoa assim, aprendi muito e fico triste quando vejo pessoas que desconhecem esse problema e avaliam crianças da mesma forma padronizada. Rotulando criticando. A necessidade de conscientização e sensibilização da sociedade sobre mais esse processo de saúde é muito importante, mas educadores e familiares devem sempre está atentos.
E nas voltas que o mundo dá, é mais fácil julgar quando não se tem conhecimento. Então antes de julgar se uma criança é mimada ou traquina simplesmente, lembre-se há pessoas com necessidades diferenciadas, e elas são muito sensíveis. É preciso segurança e firmeza no trato com elas, mas sem nunca faltar delicadeza, pois mais importante que o volume da fala, é o argumento a ser usado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário