quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Cantos

A cidade está se preparando para o maior festival de música do interior do nordeste. O festival de inverno tá prometendo e o clima tem colaborado bastante. Hoje, mesmo com o dia frio saímos sem levar o guarda chuva (eu sempre o esqueço pelos cantos), e nas idas e vindas, a chuva nos obrigou a pausar. No café mais próximo, garrafinhas de sempre vivas.

No canteiro de uma galeria de lojas, consigo tirar uma foto do meu caçula, só assim feito paparazzi, porque né, não gosta de foto, mas eu gosto de contrariar, rsrsrs.

Mateus
 Num canto esquecido da galeria, tem um banquinho improvisado e livros, esses podem ser lido ali mesmo, ou levados para casa, e se quiser pode deixar livros lá pra outras pessoas. Iniciativa interessante.

banquinho de resto de madeira.

É nesses passeios de improviso que a gente descobre cantos pela cidade que nem sabemos que existe. Lugares de tranquilidade no dia corrido da rotina que não para. A gente então se entrega, e toma um café com pão de queijo, olha a chuva passar, e eu fico sabendo das novidades dos games que ele gosta. Participo das suas dúvidas e ouço as novidades com a sua voz que agora muda por causa da puberdade. E logo me veio a lembrança de Guimarães que disse que a felicidade está nas horinhas de descuido. Gosto tanto desses descuidos da vida, da chuva que nos permite um tempinho a mais com gente que a gente quer bem. E plagiando o Chico, eu penso ah, dona chuva se soubesse como gosto de sua chegança.

Nenhum comentário:

Postar um comentário