segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Das cartas que nunca te darei

Dizem que a gente não pode sentir saudade de algo que nunca se viveu, sinto informar que há controvérsias. Ouvi muitas histórias fascinantes de você e me apaixonei sem nem mesmo conhecer de fato. Soube das noites enluaradas que você mostrava as estrelas e apresentava o nome delas pra seus filhos, dos feitos empreendedorismos, do amor pelos livros e poesia, até tenho uma escrita a mão por você. Gosto de olhar aquelas fotografias em preto e branco que estão sobre minha mesa de trabalho, e amo dizer que sou sua filha, metade negra, metade branca. Sei que aprendeu a ler sozinho e seu exemplo foi a forma mais interessante de educar até quem não te conheceu como eu.

Severino Nascimento
E nas voltas que o mundo dá, ainda sinto um pouco de ciumes quando falam de você, ainda gosto de ouvir histórias suas. E queria ter tido a alegria de sua presença em nossas vidas, embora de alguma forma ela ainda está viva, e sinto saudades dos momentos não vividos com você meu pai.

Nenhum comentário:

Postar um comentário