quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Aos pulos

Já disse antes e repito sempre, ser mãe de menino é viver com o coração aos pulos. O meu parece que não quer habitar meu corpo, quer sair por aí pinotando. O meu menino virou homem, não precisa de mim, mas mesmo assim continuo querendo saber se comeu bem, se dormiu legal, quero noticias quase que de tempo integral. Por quê sou assim mesmo, pegajosa grude, quente. Por quê né? Vou deixar pra ser fria, desligada quando morrer.

Pedro
E nas voltas que o mundo dá, é esse sorriso lindo que eu quero ver no seu rosto todos os dias. É essa irmandade, cumplicidade que vejo nessa dupla dinâmica que são minhas crias, e que me fazem ter o coração aos pulos todos os dias. Afinal, sem coração saltitante e sem borboletas na barriga, que graça teria viver?

Nenhum comentário:

Postar um comentário