quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Leitura de mundo

Paulo Freire disse que a leitura de mundo depende da leitura que se tem guardada em si. Eita Paulo arretado! Esses dias estão complicados, um inverno que não acaba nunca, desde abril que chove e faz frio com temperaturas baixas, já está aborrecendo. Os acontecimentos que a gente ver por aí, são calamitosos, é gente querendo censurar a arte, dando opinião onde não é solicitado, é terreiro de candomblé sendo invadido e derrubado, uma intolerância as diferenças assustadora. 
De uns tempos pra cá tenho preferido meu casulo, não sei se as pessoas mudaram ou apenas se rebelaram, mas prefiro não conhecer gente nova, elas são tão iguais em suas que parecem velhas conhecidas. A leitura de mundo desse povo só prova a falta de respeito e de leitura própria, de história, de filosofia, de tanta coisa que as vezes entristece, mas como já disseram que nada é para sempre. Ainda confio na Esperança esquecida da Pandora.
Tenho fome da primavera e suas árvores floridas, parece que nessa época a natureza melhora um pouco os ânimos do povo, pelo menos espero por isso. Essa semana recebi novos livros de presente surpresa, a lista só cresce, o tempo anda curto, mas a viagem por linhas de diferentes concepções de mundo é tão boa que se pudesse Paulo, te traria para gente bater um papo sobre as novidades por aqui, apesar de tudo ainda tem coisas boas. E nas voltas que o mundo dá, aguardo pela primavera como quem espera aquele amor que vai chegar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário