quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Ventos

Os ventos sopraram com tanta força ontem que pareciam cantar uma música estranha, as árvores se curvaram e as folhas encheram o chão de matéria morta. esse inverno está mesmo peculiar. Na noite fria e barulhenta, me peguei a observar o tempo e o vento. Lembrei das tempestades que já passei, das vezes que me curvei e deixei cair tudo que me causava peso e não servia mais. As vezes a vida é tempestade, e a gente precisa agir como árvores, assim a gente pode florescer outra vez.
Pensei que as coisas mais lindas, essas ficam no cerne de nossa existência e os lugares mais profundos e protegidos, eu te guardei. Nesse canto que recebe a luminosidade do sol, garanto sua segurança, e assim posso florescer quando a primavera chegar. E nas voltas que o mundo dá, o tempo mais bonito é hoje, o vento da mudança é sempre providencial, só precisamos  entender o poder das tempestades e nos curvarmos quando necessário, sem nunca quebrar até que ela se vá.

Nenhum comentário:

Postar um comentário