quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Francisco

Ontem foi o dia dele, o rapaz que fez uma performasse pelado em praça pública em plena Idade Média, Francisco renegou a sua fortuna e foi viver com os animais e pregar o amor ao próximo, tentando fundar no coração humano uma pátria de amor e compreensão. Foi radical, não quis tratamento médico quando adoeceu, até os animais paravam ao seu redor para ouvir suas pregações. Ele revolucionou o mundo.
Outros Franciscos também vieram com missão semelhante, primeiro o Francisco Xavier, que tentou criar uma nação de entendimento, amor e tolerância, hoje temos outro Francisco que se tornou papa e visa pregar as palavras do primeiro, aquele da Idade Média, e tem sofrido também muitas ações medíocres por parte da igreja que ele pertence. O que todos eles têm em comum a pregação do amor, a abnegação aos prazeres terrenos e ao dinheiro, a fé inabalável em um deus que não condena, não mata e sua lei é única e exclusivamente o amor.

Francisco da caatinga. Obra do Sílvio Jessé

Infelizmente o mundo não mudou muito desde a Idade Média do primeiro Chico, ainda são muitos os animais vítimas de maus tratos, de todo tipo de violência, assim como os humanos entre si, até a arte agora é condenada com o cara que fez uma performasse no museu andando pelado. E nas voltas que o mundo dá, ainda precismos de muitos Franciscos, precisamos sair das trevas do julgamento alheio, o mundo precisa compreender que a única lei é a do amor. A Francisco quase nada mudou desde a última vez que estivesse por aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário