segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Nove

Nove é um número expressivo, segundo a  numerologia ele representa o final de um ciclo e o começo de outro. E mais um tanto de outras coisas. Novembro é o nono mês do ano, foi num dia nove que eu nasci, eram nos novembros que se rezava as novenas na terrinha, eram nos novembros que a gente esperava pra o natal. Confesso que nunca parei pra entender esse negócio de numerologia, aliás não tenho mais me interessado por muita coisa.
Todavia, foi em um novembro que perdi meu grande amor, aquele que me gerou e me formou a pessoa que sou, foi num novembro que presenciei as maiores dores de perda que um ser vivo pode sentir. Esse mês então se tornou aquele que deveria ser deixado de fora do calendário, mas ele insiste em gritar "Estou aqui". Com o passar dos anos aprendi a deixar a dor sangrar, até não ter mais nada pra expor. Aprendi a recomeçar novamente e novamente. E se hoje não der, amanhã eu tento outra vez, como cantou Raul Seixas.
E nas voltas que o mundo dá, já se passaram cinco anos sem vocês fisicamente, mas tão presente em minha vida. E hoje não é mais doloroso como antes, você são as maiores alegrias que já tive, e quando lembro de vocês meus olhos se fecham e meu riso se abre com as lembranças mais sublimes que me alegram o coração. A saudade virou lembrança boa. E eu gosto desse novo ciclo, seja nove, seja novembro, seja amor sempre. Lembranças mãe, lembranças Pascoal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário